Blog da Manu

Escala

O tempo não passa, ele voa. Parece que foi ontem que sentei com amigos para comemorar o Natal e o final de 2011. Agora já estamos no segundo semestre, caminhando para o encerramento de mais um ano. Quanta coisa acontece no ano. Tanta coisa acontece em um ano…

Em agosto eu realizei um dos meus maiores sonhos. Estive durante dez dias em Chamonix e conheci muito de perto o Mont Blanc. Esse foi um destino. Pensei muito nessa prova, muito antes da hora de ir. Cada detalhe sobre essa viagem foi especial.

Agora tenho outro destino, só que muito mais próximo. Vou ao Chile participar de mais uma etapa do The North Face Endurance Challenge, no dia 20 de outubro. Mas entre esse dois destinos eu fiz uma escala, na linda cidade de Tiradentes, para participar de nada mais nada menos que o Xterra The North Face Endurance 50k.

Essa etapa foi inédita, já que no ano passado o circuito contava com apenas as provas de Mangaratiba e Ilhabela. Isso mostra o crescimento do esporte no Brasil. Esse ano tivemos o prazer de correr os 50km nessa etapa da Estrada Real, que na minha opinião, em termos de beleza, foi a  melhor etapa.

Largamos no sábado ao meio dia, como na etapa de Mangaratiba. O dia parecia uma pintura. O sol estava forte e eu sabia que esse seria o meu maior obstáculo natural. Preparei uma mochila pesada, porém garantida. Já que a prova não conta com muitos pontos de hidratação eu sabia que tinha que me precaver e por isso não tinha a opção de largar leve.

Saímos pelas lindas ruas de Tiradentes, onde cada detalhe tinha seu charme. Eu estava de ipod e começava a minha viagem interior. É incrível como consigo me transportar para um outro lugar quando estou fazendo o que gosto.

Na primeira parte demos uma volta menor e passamos mais uma vez no local da largada. Foi legal ver os amigos que assistiam e torciam. Muitos deles gritavam meu nome e isso sempre me fortalece bastante.

Eu bebi muita água antes de largar, já na paranóia de desidratar. Eu não queria passar mal nem me machucar nessa prova, por isso fazia tudo com muita prudência. Acho que bebi água demais e no princípio não me senti muito bem. O calor era intenso e isso também contribuía para essa sensação de desconforto. A cabeça da gente gira e gira, dando mil voltas. Vamos do céu ao inferno e de volta ao céu. Chega a ser engraçado. Nos momentos de dificuldade conversei com minha cabeça, sabendo que ela nunca me deixa na mão, “Vamos lá, me ajuda.”

Chegamos na crista da serra e sem dúvida foi um dos visuais mais lindos do percurso. Eu olhava para os lados e contemplava o lugar. Diferente do que eu imaginava, o percurso não foi muito técnico. As trilhas eram lisas e bem marcadas e corremos por muitas estradas de terra. Embora eu prefira um percurso com mais desafio técnico eu adorei correr na Estrada Real.

Ao descer da serra o sol já começava a dar uma trégua. Foi ali que comecei a me sentir melhor e a crescer. Botei um ritmo forte e comecei a fazer várias ultrapassagens. O som no meu ipod variava muito e o mais engraçado é que as musicas tocavam de acordo com o momento da prova. O final de tarde foi deslumbrante e aquele céu laranja banhava a Estrada Real, em tom dourado e depois cobre. Tudo passou muito rápido e quando o tom mudou para roxo eu já estava quase fechando a prova. O que estava lindo ainda ficou mais, quando a lua cheia surgiu no céu. Eu simplesmente não liguei a minha lanterna, pois queria aproveitar a luz da lua. Corria forte e seguia focada.

Ao me aproximar da chegada, um mundo de gente gritando e torcendo. Estava quase na hora da largada do Night Run e muitos corredores estavam presente. Foi emocionante! Depois de 4:48 correndo cruzei a linha de chegada em segundo lugar feminino, muito feliz e satisfeita. Eu estava em êxtase e queria que ainda tivesse mais prova, já que eu me sentia tão bem. Espero chegar aos 50km do Chile com a mesma energia que cheguei em Tiradentes, pois lá sim, terei mais 30km a correr.

Agradeço a torcida de todos e a energia positiva de cada um. Existe um longo caminho a percorrer e a cada passo que dou me sinto mais motivada a continuar.

Foto: Alexandre Koda – Webrun

8 comentários para “Escala

  1. Manu, é com muita felicidade que eu te escrevo parabéns por mais uma. Fiquei o dia inteiro com o coração na mão por vocês, mas estou aprendendo muito com cada palavra… E é muito bom ver um relato de coração!
    Essa parada é um estilo de vida.
    Grande abraço!

  2. Pingback